Traços e Cartas Que Esboçaram o Processo de Redemocratização do Brasil Nos Anos 70

Felipe Torres Bueno
Lailiane Freitas Moreira
Laiza Ferreira Kertscher

“Procuro dar o meu recado através do humor.
Humor pelo humor é sofisticação, é frescura.
E nesta eu não estou: meu negócio é pé na cara.
E levo o humorismo a sério.”

Henfil 

Resumo: Com o período da redemocratização do Brasil no final da ditadura militar como plano de fundo, esse artigo busca analisar as crônicas e charges de Henfil publicadas na revista ISTOÉ em 1977. O cartunista está entre os maiores – senão o maior – nomes do desenho humorístico brasileiro e sua importância no processo de transição democrática do país é inegável. Através de traços tortos, metáforas, disfarces na linguagem e muito humor, Henfil construiu uma das mais significativas formas de oposição ao regime militar. Ao dar voz ao personagem Ubaldo o paranóico e nas crônicas Cartas a mãe, o cartunista conseguiu driblar a repressão e discutir pensamentos e ideias abafadas pela ditadura. O estudo e a análise dos assuntos retratados por Henfil ajudam a compreender como se deu o desfecho da ditadura militar no Brasil, até chegarmos ao período democrático.

Palavras-chave: humor – ditadura – charge – crônica

Mais

Anúncios